Marketplace

Produção de Conteúdo Marketplace: quando cheguei era só mato!

Originalmente publicadado no Linkedin

Olá amigos. Como dizem meus amigos Rafael Pavani e Raquel Teixeira:

Quando Fe chegou no Marketplace era tudo mato.

 

 

 

E foi isso mesmo! Mais precisamente na produção de conteúdo marketplace Via Varejo. (na época Nova Pontocom e depois Cnova).

Lembro bem do dia 1 de Novembro de 2013, há exatos 4 anos. Foi quando adentrei pela primeira vez a sala onde ficaria a equipe de conteúdo para marketplace. Eu e mais duas colegas chegando para um desafio ao desconhecido.

Cnova/Viavarejo é uma das pioneiras na modalidade de marketplace e, cuidar do conteúdo desses sellers, era algo extremamente novo. Qual padrão de conteúdo vamos exigir? Como realizar a curadoria desse conteúdo? Como checar informações no site do lojistas, se o lojista não tem site?

Pois é, nos primórdios aceitavam-se lojas sem endereço na web. Ainda bem que já passou! Ufa!

Aos poucos fomos descobrindo algumas formas de trabalhar. Os principais KPI´s da equipe de conteúdo marketplace foram ficando mais claros, algumas planilhas surgiram e pude notar o crescimento do Marketplace naquele primeiro ano e o seu impacto na equipe de conteúdo.

O time de produção de conteúdo cresceu na mesma proporção que a quantidade de seller no marketplace da Cnova. Em um dia, éramos poucos fazendo de tudo. No outro dia, éramos muitos fazendo um pouco cada.

 

Produção de Conteúdo Marketplace

 

produção de conteúdo marketplace

 

Nessa época, já com uns 20 colaboradores a estrutura começou a tomar forma. Separados por categorias/departamentos e focados somente em uma tarefa. Analisar cargas, cadastrar produtos ou revisar itens cadastrados, eram as funções.

Meses depois tudo mudou. A qualidade utilizada como padrão cedeu espaço para a quantidade e junto a isso, diversos problemas com consumidores que, nem sabiam que haviam comprado de outra loja, mas dentro do site de um grande varejista.

Vi também uma evolução e nascimento de integradoras de marketplaces assustadora. Sim, e pude confirmar esse número no Fórum E-commerce Brasil 2017, que tive o prazer de participar a convite da empresa.

Hora em busca de qualidade e quantidade, hora em busca de uma oferta específica ou de uma campanha urgente a produção de conteúdo marketplace segue evoluindo. Sistêmicamente, nem tanto, mas pessoalmente e profissionalmente vejo todos aqueles colegas muito melhores hoje.

 

Os Mil Sellers e o Match EAN no Marketplace

 

Pude ver também no Marketplace o crescimento estrondoso de lojas e ofertas. Milhares de SKU´s sendo integrados e crescendo a fila de cadastro de produto dia após dia. De onde sai tanta loja? Essa era a principal pergunta.

Era complexo entender, pois tudo era novo, mas muita gente sem o menor conhecimento sobre e-commerce vendeu muito, mais muito mesmo nos primórdios do marketplace no Brasil.

Quanto mais loja entrava, mais desafios a produção de conteúdo enfrentava.

E o principal deles: o Match ean. Como fazer de forma assertiva a unificação de um mesmo produto vendido por várias lojas? Algo extremamente delicado e feito minuciosamente por uma equipe de cadastro extremamente cautelosa.

Ai você pergunta: mas onde está o desafio nisso?

Te digo: o código de barras, mais conhecido como EAN, não é padronizado no Brasil. Os 13 dígitos diferem em cada região do país e acredite, isso causa problemas sérios. Ainda mais quando um lojista decidi inventar um ean para “acelerar” a entrada do seu produto em um marketplace.

Temos um post sobre a importância do ean para vendas no marketplace aqui.

Se ele soubesse, que pode acabar tendo seu Iphone associado a um caderno escolar, jamais faria isso. Mas…

Atualmente controlamos bem tudo isso.

 

O Brasil descobre o “Vendido e Entregue por”

 

Acredito que o maior problema enfrentado pelos marketplaces no Brasil foi cultural. Não se tinha cultura e nem conhecimento quanto a comprar algo em um site, mas quem entrega é outra loja.

Por mais que o Mercado Livre estivesse fazendo isso e, todos comprarem lá, ninguém percebia o conceito de marketplace. O que o cliente enxergava era a Bandeira famosa do site em que estava comprando. E ao primeiro problema, pau nessa loja.

A equipe de produção de conteúdo do Marketplace foi primordial para minimizar essa desconhecimento. Acrescentando valor aos conteúdos dos sellers. Tornando o padrão de qualidade dos lojistas o mais próximo possível da bandeira em que vendiam.

Mais uma tarefa realizada com sucesso!

E o Brasileiro foi entendendo um pouco melhor o conceito de Marketplace. Compreendendo que a bandeira é apenas o intermediário entre a loja e o consumidor.

O seller também entendeu que o nível de visualizações de um grande player do e-commerce poderia contribuir, muito, para suas vendas. E a coisa começou a deslanchar.

Sabemos que muita coisa pode e vai melhorar. Mas a atenção ao atendimento ao cliente dos sellers integrados aos marketplaces atualmente é muito melhor. As possibilidade que os grandes players oferecem, ainda mais. E a cada Black Friday isso se reflete em vendas.

 

Tudo Isso Virou o Mundo Marketplace Blog

 

produção de conteúdo marketplace

 

E todo esse tempo se transformou em aprendizado. Conhecimento e muita reflexão. Hoje eu busco a cada momento, mais e mais conhecimento sobre esse mundo. Fui em busca de aprimorar o que eu julgava importante.

Cursei gerente de e-commerce da comschool. E finalizei a extensão na ESPM para Formação de Consultor de e-commerce e Negócios Digitais. Curso que realmente abriu os caminhos e meu conhecimento para o mundo dos negócios. Indico esse curso a todos que buscam novos rumos ou maior conhecimento sobre consultoria digital e negócios. 

Foi de toda essa experiência e necessidade de contribuir, de alguma forma com meu conhecimento, que nasceu o Blog Mundo Marketplace. Aqui a ideia é abrir espaço para ajudar quem queira saber um pouco mais sobre negócios digitais e, principalmente, dar voz aos profissionais do mercado que atuam no dia a dia dos negócios.

Profissionais que não, necessariamente possuem o título de gestor, diretor, etc. Mas, tem muito a nos ensinar. Aqui é o lugar para quem lida com o operacional também nos ensinar e produzir suas reflexões sobre o negócio. 

Sejam todos bem-vindos! 

 
Tags
Exibir mais

Felipe

Jornalista, apaixonado por conteúdo digital,e-commerce, samba e os amigos de verdade. Aspirante a criador de trocadilho com taxa de acerto em 2%. Atuando no mercado digital desde 2011, com passagens por B2W, Portal Terra, Beleza Store Cosméticos e atualmente integrante da equipe de catálogo de produtos para Marketplace do maior varejo online do país,Via Varejo.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *